• Associados:
Página Inicial


Confira aqui a agenda de eventos, reuniões e cursos
 
Cadastre seu e-mail e receba nosso informativo
 
 
  Seminários anteriores
 
  Contatos
 
  Dados Estatísticos
 
  Empresas Homologadas Res.245
 
  Eventos
 
  Fale Conosco
 
  Galeria de Imagens
 
  Glossário
 
 Legislação do Setor
 Links Importantes
 
  Orientações Jurídicas
 
  Parceiros do Asfalto
 
  Pesquisa Salarial
 
  Quem é o Associado
 
  Sugestão dos Associados
 
  Sugestões de Pautas da Diretoria
 
  Operadoras Telecom falta de sinal
 
Mais Serviços
 


Usuário:  
Senha:    

 
 
Facebook
Twitter

24/08/2007,11h:00m
DENATRAN - Portaria nº 47/2007

Clique aqui e acesse documento original na íntegra



PORTARIA DENATRAN Nº 47, DE 20 DE AGOSTO DE 2007
                               
DOU 21.08.2007


O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO - DENATRAN, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo art. 19, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1.997, que instituiu o Código de Trânsito Brasileiro (CTB);
Considerando o disposto no Art. 2º da Resolução CONTRAN nº 245 de 27 de julho de 2007, que dispõe sobre a instalação de equipamento obrigatório, denominado antifurto, nos veículos novos saídos de fábrica, nacionais e estrangeiros, resolve:
 
Art. 1º Definir na forma do Anexo desta Portaria, as especificações, as características e as condições de funcionamento e operação do dispositivo antifurto e do sistema de rastreamento de que trata a Resolução CONTRAN nº 245/2007.
 
Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
 
ALFREDO PERES DA SILVA
 
                             ANEXO
           EQUIPAMENTO ANTIFURTO - SISTEMA DE RASTREAMENTO

1. DEFINIÇÕES
1.1. Equipamento antifurto Denomina-se equipamento antifurto aquele que apresenta as funções de rastreamento e bloqueio de veículos.
1.2. Sistema de rastreamento Denomina-se sistema de rastreamento aquele que realiza a leitura de sua localização através constelação de satélites e detém canal comunicação para envio das informações de posicionamento a uma central de serviço de monitoramento.
1.3. Bloqueio Entende-se por bloqueio a característica de impedir o funcionamento do veículo.
2. DO EQUIPAMENTO:
2.1. Função:
O equipamento antifurto deverá obrigatoriamente executar as funções de bloqueio, calculo e armazenamento de posicionamento geográfico, com base em informações precisas recebidas de uma constelação de satélites. Deverá também ter integrado, módulo de comunicação que permita ao equipamento antifurto, quando o serviço de rastreamento estiver ativado, enviar informações a uma central de serviço de monitoramento e receber comandos da mesma.
2.2. Composição:
O equipamento de rastreamento deverá ser constituído de vários módulos funcionais conforme figura 1 e descrição abaixo:
Nota da Editora: Caso necessite dos anexos desta norma, solicite à Notadez Informação através do telefone 51 3451 8500 ou do e-mail notadez@notadez.com.br (serviço exclusivo para assinantes Notadez).
2.2.1. Módulo de Recepção Satélite Componente que tem como função receber sinais de quatro ou mais satélites, de uma constelação, para gerar coordenadas precisas da localização do veículo.
2.2.2. Módulo de comunicação bi-direcional Componente responsável por transmitir e receber informações da central de serviços de monitoramento.
O módulo deverá ter todos os requisitos técnicos e funcionais para estabelecer comunicação segura, confiável e ter certificado de homologação ANATEL.
2.2.3. Módulo de Gerenciamento e Bloqueio Componente que concentra toda a inteligência do sistema. Tem como função coletar as informações disponibilizadas pelo modulo de recepção satélite e traduzi-las em coordenadas geográficas.
Também é responsável pela interface com o módulo de comunicação, bloqueio do veículo e gerenciamento de todas as funções do equipamento antifurto.
2.2.4. Módulo de Bateria Auxiliar
É o componente do equipamento antifurto que suporta o dispositivo com energia suplementar nos casos de corte da conexão com o sistema de bateria do veículo ou por falta de energia na mesma.
A bateria auxiliar deverá ter capacidade de manter o equipamento em funcionamento, pelo tempo mínimo necessário a execução das funções necessárias a proteção do veículo, depois de cortada a alimentação principal.
2.3. Características complementares:
A remoção do equipamento de rastreamento deverá impedir que o veículo seja acionado.
O equipamento antifurto / rastreamento deverá atender as normas de segurança quanto à interconexão de dispositivos eletrônicos à arquitetura dos veículos, evitando desta forma interferência no funcionamento de outros equipamentos.
3. DA FUNÇÃO DE BLOQUEIO E RASTREAMENTO
3.1. Função de bloqueio
A função de bloqueio deverá obrigatoriamente sair de fábrica funcional e sempre que acionada, proporcionar segurança adequada ao veículo.
O bloqueio pode ser autônomo, ativado localmente pelo usuário ou pelo próprio veículo através de dispositivos de sensoriamento ou remoto, através de comandos recebidos de uma central de serviços de monitoramento, nos casos em que a função de rastreamento tenha sido ativada pelo proprietário do veículo.
O bloqueio do veículo só poderá ocorrer nas condições em que o mesmo não se encontre em movimento, eliminando desta forma a possibilidade de acidentes.
3.2. Função de Rastreamento
A função de rastreamento deverá sair obrigatoriamente de fábrica integrada ao equipamento antifurto.
Não será permitida a ativação da função de rastreamento, por parte de provedores de serviços de monitoramento, sem o prévio conhecimento e anuência por escrito do proprietário do veículo.
O equipamento antifurto/rastreamento, sempre que ativado, deverá enviar informações precisas sobre seu posicionamento, enviar informações sobre eventos relacionados a segurança do veículo e receber comandos de bloqueio da central de serviços de monitoramento.
3.3. Das empresas prestadoras de serviços de monitoramento/rastreamento As empresas prestadoras de serviço de monitoramento deverão ser obrigatoriamente certificadas pelo DENATRAN.
A certificação de empresas prestadoras de serviço de monitoramento contemplará os seguintes procedimentos:
Análise de capacitação técnica Capacidade financeira Histórico de serviços prestados Capacidade operacional Analise do responsável técnico Serviço de atendimento a clientes
A certificação estará sujeita a revisão anual e será revogada sempre que os serviços prestados, não apresentarem a qualidade / disponibilidade contratada.


Clique aqui e acesse documento original na íntegra

Envie esta noticia
 
 Voltar

Banco de Curriculos

Logis
Telematics Brazil & Latam 2014
 
 


 
 
Este site foi acessado
18614510 
desde Abril de 2007


© Copyright 2005-2007 - GRISTEC - Todos os Direitos Reservados - R. Bertioga, 149 - cj. 35 - São Paulo - SP
Tel.: (11) 3807-3397 - email: contato@gristec.com.br